Ir para o conteúdo
Homem a utilizar software de ERP

O que é o ERP?

ERP quer dizer planeamento de recursos empresariais, mas o que significa? A forma mais simples de definir ERP é pensar em todos os processos centrais necessários para se gerir uma empresa: finanças, RH, fabrico, cadeia logística, serviços, aprovisionamento e outros. Até o ERP mais básico ajuda a gerir todos estes processos com eficiência, num sistema integrado. É frequentemente denominado como o sistema de registo da organização.


Ainda assim, os sistemas de ERP atuais são tudo menos básicos e têm poucas semelhanças com o ERP de há décadas. Agora, são fornecidos através da Cloud e utilizam as tecnologias mais recentes – como inteligência artificial (IA) e machine learning – para permitirem automatização inteligente, maior eficiência e informação imediata em toda a empresa. O software moderno de ERP também liga as operações internas a parceiros de negócios e redes de todo o mundo, conferindo às empresas a colaboração, agilidade e velocidade de que precisam para serem competitivas.

Definição de ERP

ERP é um sistema de software que o ajuda a gerir toda a sua empresa, incluindo processos de finanças, recursos humanos, fabrico, cadeia logística, serviços e aprovisionamento, entre outros.

O que é o ERP? Conheça todos os detalhes neste vídeo.

Por que é que o ERP é importante?

Por vezes descrito como o "sistema nervoso central de uma empresa", um sistema de ERP fornece a automatização, integração e inteligência que é essencial para gerir eficientemente as operações empresariais do dia-a-dia. A maioria ou até todos os dados de uma organização devem residir no sistema de ERP para que exista uma única fonte fidedigna em toda a empresa.

 

As finanças precisam de um ERP para fecharem as contas rapidamente. As vendas precisam do ERP para gerirem todas as encomendas dos clientes. A logística depende do bom funcionamento do software de ERP para fornecer os produtos e serviços certos aos clientes, dentro do prazo. As contas a pagar precisam de ERP para pagarem aos fornecedores de forma correta e atempada. A gestão precisa de ter visibilidade imediata do desempenho da empresa para tomar decisões oportunas. Os bancos e os acionistas exigem relatórios financeiros exatos, para poderem contar com dados e análises fiáveis, que o ERP torna possíveis.

 

A importância do software de ERP para as empresas é ilustrada pela crescente taxa de utilização. De acordo com o G2, prevê-se que o mercado global de software de ERP atinja mais de 74 mil milhões de EUR até 2026, aumentando a uma taxa de crescimento anual composto (CAGR) de 10,2% entre 2019 e 2026.

Descubra por que motivo um sistema de ERP é tão importante.

Como funcionam os sistemas de ERP?

Um sistema de ERP – também denominado conjunto de aplicações de ERP – é composto por módulos ou aplicações empresariais integradas que interagem e partilham uma base de dados comum.

 

Tipicamente, cada módulo de ERP concentra-se numa área de negócios, mas os módulos podem trabalhar em conjunto, utilizando os mesmos dados para satisfazerem as necessidades da empresa. Finanças, contabilidade, recursos humanos, vendas, aprovisionamento, logística e cadeia logística são pontos de partida populares. As empresas podem escolher o módulo que pretendem e acrescentar outros à escala de que precisarem.

 

Os sistemas de ERP também são compatíveis com requisitos setoriais específicos, como parte da funcionalidade central do sistema ou através de extensões de aplicação que se integram perfeitamente com o sistema.

 

O software de ERP pode ser comprado através de um modelo de subscrição na Cloud (software como um serviço) ou de um modelo de licenciamento (instalação local).

placeholder

O sistema de software de ERP aqui apresentado ilustra casos de utilização de planeamento de recursos empresariais para determinação de fontes e aprovisionamento, bem como vendas. Os módulos de ERP típicos também incluem finanças, fabrico e cadeia logística, entre outras aplicações.

Módulos comuns de ERP

Os sistemas de planeamento de recursos empresariais incluem vários módulos diferentes. Cada módulo de ERP apoia processos empresariais específicos, como finanças, aprovisionamento ou fabrico, e fornece aos colaboradores desses departamentos as transações e informações de que precisam para fazerem o seu trabalho. Cada módulo liga-se ao sistema de ERP, que proporciona a todos os departamentos uma única fonte fidedigna e dados exatos e partilhados.

Diagrama que apresenta os elementos do que é um ERP

Componentes de um sistema de planeamento de recurso humanos

 

Os módulos de ERP mais utilizados incluem:

  1. Finanças: O módulo de finanças e contabilidade é a espinha dorsal da maioria dos sistemas de ERP. Além de gerir o Razão e automatizar as principais tarefas financeiras, ajuda as empresas a monitorizarem as contas a pagar e a receber, a fecharem as contas de forma eficiente, a gerarem relatórios financeiros, a cumprirem padrões de reconhecimento de receita, a mitigarem o risco financeiro e muito mais.
  2. Gestão de recursos humanos: A maioria dos sistemas de ERP incluem um módulo de RH que fornece capacidades centrais como tempos e assiduidade e cálculo de salários. Add-ons ou até conjuntos inteiros de aplicações de gestão de capital humano (HCM), conseguem ligar-se ao ERP e fornecer funcionalidade de RH mais robusta – desde funções analíticas de força de trabalho até gestão de experiência de cliente.
  3. Fontes de fornecimento e aprovisionamento: O módulo de fontes de fornecimento e aprovisionamento ajuda as empresas a adquirirem os materiais e serviços de que precisam para fabricarem os seus produtos – ou os artigos que pretendem revender. Este módulo centraliza e automatiza as compras, incluindo solicitações de cotação, criação de contratos e aprovações. Consegue minimizar as compras insuficientes e excessivas, melhorar as negociações com fornecedores com funções analíticas baseadas em IA, e até conseguem ligar-se perfeitamente a redes de compradores.
  4. Vendas: O módulo de vendas monitoriza as comunicações com clientes potenciais e clientes, e ajuda os representantes de vendas a utilizarem informações baseadas em dados para aumentarem as vendas e abordarem leads com as promoções certas e oportunidades de up-selling. Inclui funcionalidade para o processo da encomenda ao pagamento, incluindo a gestão de encomendas, contratos, faturação, gestão de desempenho de vendas e apoio à equipa de vendas.
  5. Fabrico: O módulo de fabrico é um componente essencial de planeamento e execução do software de ERP. Ajuda as empresas a simplificarem processos de fabrico complexos e garantirem que a produção está alinhada com a procura. Tipicamente, este módulo inclui funcionalidade para planeamento de necessidades de material (MRP), agendamento de produção, execução de fabrico, gestão de qualidade e muito mais.
  6. Logística e gestão da cadeia logística: Outro componente essencial dos sistemas de ERP, o módulo de cadeia logística, acompanha o movimento de mercadorias e produtos ao longo de toda a cadeia logística de uma organização. Este módulo fornece ferramentas para gestão de inventário em tempo real, operações de armazenamento, transporte e logística, podendo ainda ajudar a aumentar a visibilidade e a resiliência da cadeia logística.
  7. Serviço (apoio ao cliente): Num sistema de ERP, o módulo de serviço ajuda as empresas a prestarem aos clientes o apoio fiável e personalizado que eles esperam receber. Este módulo pode incluir ferramentas para reparações internas, peças sobresselentes, gestão de trabalho de campo e fluxos de receita baseados em apoio ao cliente. Também fornece funções analíticas para ajudar os técnicos e os representantes de apoio ao cliente a resolverem rapidamente os problemas dos clientes e aumentarem a fidelização.
  8. I&D e engenharia: Os sistemas de ERP ricos em funções incluem um módulo de investigação e desenvolvimento (I&D) e engenharia. Este módulo fornece ferramentas para design e desenvolvimento de produtos, gestão do ciclo de vida dos produtos (PLM), conformidade de produto e muito mais – para que as empresas consigam criar novas inovações com rapidez e eficiência de custos.
  9. Gestão de ativos empresariais: Os sistemas de ERP robustos podem incluir um módulo de gestão de ativos empresariais (EAM), que ajuda as empresas com muitos ativos a minimizarem as interrupções e a manterem as suas máquinas e equipamentos a funcionar com a máxima eficiência. Este módulo inclui funcionalidade para manutenção preditiva, agendamento, operações e planeamento de ativos, ambiente, saúde e segurança (EHS), entre outros.

    Integração de ERP

    Os atuais sistemas de ERP fornecem uma vasta funcionalidade empresarial, mas continuam a precisar de se ligar e sincronizar com outras aplicações e fontes de dados, como software de CRM e HCM, plataformas de e-commerce, soluções específicas de setor e até outros ERPs. Com a integração do ERP, as empresa podem ganhar uma visão unificada das informações de diversos sistemas, aumentar a eficiência dos processos empresariais, melhorar as experiências de cliente e facilitar a colaboração entre equipas e parceiros de negócios.

     

    Os sistemas modernos de ERP são abertos e flexíveis e conseguem integrar-se facilmente com um vasto conjunto de produtos de software, através de conectores ou adaptadores personalizados, como Interfaces de Programação de Aplicações (APIs). Outros métodos de integração de ERP incluem ESB (Enterprise Service Bus) e iPaaS (plataforma de integração como um serviço). O iPaaS, que possibilita uma abordagem baseada na Cloud, é uma opção muito popular para as empresas modernas. As plataformas de iPaaS conseguem sincronizar rapidamente um ERP local ou baseado na Cloud com aplicações de software como um serviço (SaaS), sejam do mesmo fornecedor ou de terceiros. Tipicamente, exigem pouca ou nenhuma programação, são flexíveis e relativamente baratas e permitem muitas outras utilizações, como a geração automática de API, integração de dados de machine learning, integração de rede de Internet of Things (IoT), conteúdo previamente criado e muito mais.

    Seis benefícios essenciais do ERP

    Um bom sistema de ERP oferece muitos benefícios diferentes. Eis os seis mais importantes:

    Diagrama dos benefícios do ERP
    1. Maior produtividade: Simplifique e automatize os seus processos empresariais centrais para ajudar todos na sua organização a fazerem mais com menos recursos.
    2. Informações mais aprofundadas: Elimine silos de informação, tenha uma única fonte fidedigna e obtenha respostas rápidas para questões cruciais para a missão da empresa.
    3. Relatórios acelerados: Acelere os relatórios empresariais e financeiros e partilhe os resultados com facilidade. Tome medidas com base em informações e melhore o desempenho em tempo real.
    4. Risco mais baixo: Maximize a visibilidade e o controlo empresarial, garanta a conformidade com requisitos de regulamentos, e preveja e evite o risco.
    5. TI mais simples: Ao utilizar aplicações integradas de ERP que partilham uma base de dados, consegue simplificar as TI e facilitar o trabalho de todos.
    6. Agilidade melhorada: Com operações eficientes e acesso imediato a dados em tempo real, pode identificar e reagir rapidamente a novas oportunidades.

    Exemplos de ERP em diferentes setores de atividade

    Empresas de todos os setores – da indústria automóvel à distribuição grossista – precisam de ter informações corretas e em tempo real, e processos empresariais eficazes, para serem competitivas e prósperas. No entanto, diferentes setores de atividade dependem do seu software de ERP por diferentes motivos. Eis apenas alguns exemplos:

    • Os serviços públicos precisam de consultar constantemente os seus ativos mais importantes, não apenas para satisfazerem a procura de serviços futuros, mas também para a substituição de ativos envelhecidos. Sem ERP, o esforço de priorizar estes investimentos nos ativos mais importantes, seria difícil e atreito a erros. O ERP também ajuda a resolver outro problema crucial das empresas de serviços públicos: a previsão da necessidade de peças sobresselentes. Não ter as peças certas durante uma falha de serviço pode criar um problema grave de apoio ao cliente. Por outro lado, ter demasiadas peças sobresselentes implica custos excessivos e stock desatualizado.
    • Para grossistas, importadores, entregas diretas em loja e empresas de logística 3PL/4PL, a entrega dentro do prazo é essencial. Todas estas organizações querem reduzir custos de distribuição, aumentar a rotatividade do inventário e encurtar o tempo da encomenda ao pagamento. Para atingir estas metas, precisam de integração das funcionalidades de gestão de inventário, compras e logística, bem como de processos automatizados e personalizados de acordo com as suas necessidades.
    • Os fabricantes com processos de produção discreta, em lote e contínua, dependem de sistemas de ERP e cadeia logística para cumprirem metas de qualidade de produto, gerirem a utilização de ativos, controlarem os custos de horas extraordinárias, lidarem com devoluções dos clientes e muito mais. Os fabricantes também podem controlar o inventário de ponta a ponta através da monitorização de movimentos de stock, identificando os produtos com melhor e pior desempenho e gerindo o aprovisionamento com mais eficiência.
    • As empresas prestadoras de serviços – contabilísticos, fiscais, de engenharia, TI, jurídicos e outros serviços profissionais – necessitam de poderosa tecnologia móvel de ERP em tempo real para equilibrarem os compromissos de prestação de serviços com a sua saúde financeira. Essencial para o sucesso dos serviços profissionais é a capacidades de cumprir os calendários e, ao mesmo tempo, gerir a rentabilidade dos projetos, a utilização de recursos, o reconhecimento de receita, os objetivos de receita recorrente e as oportunidades de crescimento.
    • O retalho sofreu uma grande transformação, agora que o e-commerce se fundiu com outros canais de vendas e com as operações das lojas físicas. A capacidade de fornecer opções de self-service para identificação, configuração, compra e expedição de produtos está dependente da existência de dados integrados. Um ERP moderno também ajuda os retalhistas a reduzirem os abandonos de carrinhos de compras, melhorarem as conversões em website, aumentarem o valor médio das encomendas e o valor do cliente ao longo da vida.

    Tipos de implementação de ERP

    Os sistemas modernos de ERP podem ser implementados de várias formas: numa Cloud pública ou privada, com instalação local (on-premise) ou em diversos cenários híbridos que combinam ambientes. Eis alguns dos benefícios de mais alto nível de cada uma dessas formas de implementação, para o ajudar a identificar a opção de implementação do ERP que faz mais sentido para a sua empresa.

    Diagrama das opções de implementação do ERP

    Tipos de implementação de ERP

     

    ERP na cloud

    Com o  ERP na Cloud, o software é alojado na Cloud e fornecido através da Internet como um serviço que se subscreve. Habitualmente, o fornecedor de software trata das operações regulares de manutenção, atualização e segurança. Atualmente, o ERP na Cloud é o método de implementação mais popular por muitos motivos, que incluem um custo inicial mais baixo, maior escalabilidade e agilidade, integração mais fácil e muitos outros.

     

    ERP local (on-premise)

    Este é o modelo tradicional de implementação de software, em que você controla tudo. O software de ERP é tipicamente instalado no seu centro de dados, em locais à sua escolha. A instalação e manutenção do hardware e do software é da responsabilidade dos seus colaboradores.

     

    Muitas empresas estão a modernizar e atualizar os seus sistemas de ERP instalados localmente, passando a implementá-los na Cloud. Isso exige o planeamento cuidadoso da sua  atualização de ERP,  bem como um processo ponderado de  avaliação de ERP e das opções de implementação.

     

    ERP híbrido

    Para empresas que querem um misto de ambos os modelos para satisfazerem as suas necessidades empresariais, existe o modelo híbrido de ERP na Cloud . Assim, algumas das suas aplicações e dados de ERP estarão na Cloud e outras serão instaladas localmente. Por vezes, este modelo é denominado como ERP de duas camadas.

    placeholder

    O ERP para finanças pode ajudá-lo a gerir os seus processos diários de contabilidade e financeiros, de forma segura, independentemente da sua abordagem de implementação.

    O custo total do ERP

    O custo do ERP depende do fornecedor de software, dos módulos selecionados e do método de implementação. Geralmente, o ERP baseado na Cloud tem custos mais baixos do que o ERP instalado localmente, porque não é necessário comprar hardware e não é preciso contratar dispendiosos especialistas de TI internos. O fornecedor trata da manutenção e cobra ao cliente uma tarifa anual ou mensal, habitualmente baseada no número de utilizadores.

     

    Quando se calcula o retorno do investimento (ROI) e o custo total de propriedade (TCO) de uma nova implementação de ERP, os custos iniciais e contínuos da força de trabalho são tão importantes como a seleção do software e os custos de implementação. Com as opções Cloud e híbrida, torna-se necessário avaliar novos fatores. Por exemplo, os custos com manutenção do software, instalações, capacidade de computadores, interrupções, recuperação, segurança, privacidade e colaboradores de TI, são considerações importantes. Como já mencionámos, as opções Cloud reduzem significativamente os custos de capital e operacionais – o que melhora o ROI e o TCO.

    História do ERP: A rápida evolução do ERP

    As aplicações empresariais computorizadas nasceram no mundo da contabilidade e das finanças na década de 1960, utilizando mainframes. Estas aplicações pioneiras eram mais rápidas e mais exatas do que processos manuais, mas eram dispendiosas, limitadas na sua funcionalidade e lentas. Pouco depois, estas aplicações deram origem ao desenvolvimento de soluções dedicadas e autónomas para o processamento de ordens de venda e o planeamento de necessidades de material (MRP).

     

    Em meados da década de 1980, a concorrência no setor do fabrico passou por uma expansão e, por isso, eram necessárias novas ferramentas. O novo software de MRP II integrava contabilidade e finanças, vendas, compras, inventário e planeamento e agendamento de fabrico, dotando o fabricante de um sistema integrado.

     

    Perto do fim da década de 1990, foi introduzido o ERP. O ERP transformou o setor da tecnologia, servindo um conjunto mais vasto de setores de atividade e combinando MRP II, recursos humanos, contabilidade de projeto e relatórios para utilizadores finais.

     

    Já no século XXI, a rapidez da velocidade da Internet e novas ferramentas de desenvolvimento tornaram a revolucionar os conjuntos de aplicações de ERP. A introdução do software baseado em browser preparou o caminho para o  software de ERP na Cloud, uma inovação que expandiu o alcance e a funcionalidade das soluções de ERP.

     

    Atualmente – na era da transformação digital – os sistemas modernos de ERP tiram cada vez mais partido de novas tecnologias inteligentes como IA, machine learning, automatização robótica de processos (RPA), IoT, processamento de linguagem natural (NLP) e bases de dados in-memory. Fornecem às empresas a capacidade de executarem processos ainda mais eficientes, de tirarem partido de informações atualizadas ao minuto a partir de dados transacionais e não estruturados e, em última análise, de permanecerem competitivas numa época de mudança sem precedentes.

    Diagrama que apresenta a história do ERP

    O futuro do ERP

    A transformação digital está a acelerar e o ERP está no centro. À medida que as empresas adotam tecnologias digitais em todas as vertentes de negócio, estão a mudar fundamentalmente a forma como funcionam.

     

    Segundo a Gartner, um dos principais aceleradores digitais das empresas consiste em "banir empecilhos", ou seja, eliminar qualquer força negativa que atrase a empresa, incluindo processos e sistemas antiquados. Por isso, não surpreende que as empresas já estejam a exigir sistemas de ERP mais robustos.

     

    Seguem-se três importantes tendências que aproveitam o ímpeto atual:

     

    1. Cloud, Cloud, Cloud: A preferência pelo ERP na Cloud continuará a intensificar-se à medida que mais empresas descubram os benefícios, que incluem acesso em qualquer lugar, redução dos custos de hardware e apoio técnico, maior segurança e integração com outros sistemas, para mencionar apenas alguns. De acordo com a Panorama Research, no seu 2020 ERP Report, "Mais de metade das organizações estão a escolher software na Cloud (63%) em vez de software local (37%)". À medida que a velocidade dos negócios continua a aumentar, a Cloud torna-se ainda mais essencial.
    2. Integração vertical: O braço de ferro entre as melhores soluções do género e o ERP integrado chegou oficialmente ao fim. De agora em diante, acreditamos que as empresa vão exigir o melhor dos dois mundos: um sistema de ERP totalmente integrado com extensões verticais. Isso permite às empresas obterem a funcionalidade específica de que precisam, sem os dolorosos problemas de integração ou dados bloqueados em silos de informação. Também assistimos à mudança para cada vez mais flexibilidade, à medida que os processos empresariais são adaptados às necessidades individuais das empresas.
    3. Personalização de utilizador: Colaboradores, clientes e fornecedores, todos querem conteúdo e funcionalidade que correspondam às suas necessidades ou interesses específicos e que os torne mais produtivos. As alterações demográficas da força de trabalho, particularmente em setores como o fabrico, também estão a fazer aumentar o interesse em plataformas low-code e no-code. Estas plataformas permitem aos utilizadores obterem a experiência que querem, em vez de se adaptarem ao software. Os utilizadores também podem esperar dashboards personalizados, pesquisa baseada em IA, chat personalizado e fluxos de trabalho personalizados em todos os dispositivos.

     

    Descubra mais tendências tecnológicas de ERP – e saiba como avaliar sistematicamente as suas opções, evitar armadilhas e começar a trabalhar com as inovações certas para a sua empresa.

    Veja como o ERP atual utiliza assistentes digitais para o ajudar a concentrar-se no que é importante: IA e machine learning para automatizar processos e funções analíticas para apoiar a tomada de decisões em tempo real.

    10 elementos a procurar num sistema de ERP

    Qualquer sistema de ERP moderno tem uma longa lista de capacidades, de acordo com o setor de atividade que serve e os módulos que disponibiliza. No entanto, existem 10 funções fundamentais que todos os sistemas de gestão de recursos empresariais devem ter:

     

    1. Uma base de dados comum: Informação centralizada e uma única fonte fidedigna, que fornece dados consistentes e partilhados e uma visão transversal das funções na empresa.
    2. Funções analíticas incorporadas: Funções analíticas incorporadas, Business Intelligence em regime de self-service, relatórios e ferramentas de conformidade capazes de fornecer informação inteligente a qualquer área da empresa.
    3. Visualização de dados: Apresentação visual de informações essenciais com dashboards, KPIs e funções analíticas com função "point-and-click", para ajudar à tomada de decisões rápidas e informadas.
    4. Automatização: Automatização de tarefas repetitivas e também RPA avançada potenciada por IA e machine learning.
    5. Consistência da interface e da experiência de utilizador: O mesmo aspeto e sensação em todos os módulos, bem como ferramentas de configuração e personalização fáceis de utilizar para utilizadores (incluindo clientes e fornecedores), unidades empresariais e linhas de produtos, por exemplo.
    6. Integração: Integração perfeita de processos empresariais e fluxos de trabalho, e também uma integração aberta e fácil com outras soluções de software e fontes de dados, incluindo as de terceiros.
    7. Novas tecnologias: Apoio para IA e machine learning, assistentes digitais, a IoT, RPA, segurança e privacidade, e mobilidade.
    8. Plataforma tecnológica: Uma pilha tecnológica rápida, comprovada e estável para este investimento de longo prazo, incluindo uma plataforma low-code/no-code, plataforma de integração como um serviço (iPaaS), gestão de dados e muito mais.
    9. Compatibilidade multinacional: Incluindo para idiomas, moedas e melhores práticas e regulamentos locais, bem como suporte técnico para serviços na Cloud, formação, assistência técnica e implementação.
    10. Opções de implementação: Cloud, local ou híbrida.
    placeholder

    Experimente uma solução moderna de ERP na Cloud

    Teste o SAP S/4HANA Cloud e veja em primeira mão os benefícios de um sistema de ERP inteligente

    ERP de qualquer tamanho: Quais são as minhas opções?

    O ERP não é só para empresas globais. As soluções de ERP são concebidas para empresas de todos os tamanhos – pequenas, médias e grandes. Também pode obter funcionalidade específica para um setor ou uma empresa, para satisfazer necessidades empresariais únicas. Independentemente do tamanho e setor de atividade da sua empresa, quererá planear o seu projeto de implementação de ERP com cuidado, cumprindo as melhores práticas.

     

    ERP para pequenas empresas

    O software de ERP para pequenas empresas pode ajudá-lo a abandonar as folhas de cálculo e a gerir eficientemente todas as vertentes da sua empresa em crescimento – das vendas e relacionamento com clientes até às finanças e operações. As ferramentas de ERP para pequenas empresas estão tipicamente na Cloud, são fáceis de instalar e concebidas para crescerem consigo.

     

    ERP para médias empresas

    Atualmente, o software de concebido para médias empresas e subsidiárias beneficia de funções analíticas incorporadas, implementação rápida e melhores práticas para dezenas de processos empresariais – finanças, RH, gestão da cadeia logística e muitos mais. As ferramentas de ERP para médias empresas ajudam as empresas em crescimento a adaptar a escala e a competir, mesmo com recursos limitados. Sistemas de ERP empresarial baseados na Cloud  e modulares também são uma escolha popular entre as médias empresas que têm processos complexos ou planos para um crescimento rápido.

     

    ERP empresarial

    As grandes empresas com operações globais ou subsidiárias precisam de um sistema de ERP líder de mercado e robusto, com IA, machine learning e funções analíticas incorporadas, bem como automatização inteligente para transformar modelos de negócio e processos empresariais. Os sistemas de ERP podem ser implementados com instalação local (on-premise) na Cloud ou num cenário híbrido, dependendo da necessidade da empresa. Podem integrar-se com bases de dados existentes ou, idealmente, ser executados sobre bases de dados in-memory poderosas e mais recentes.

     

    Muitas empresas estão a modernizar e atualizar os seus sistemas de ERP instalados localmente, passando a implementá-los na Cloud. Isso exige planeamento cuidadoso da sua atualização de ERP, bem como uma avaliação de ERP e uma revisão das suas opções de implementação.

    Oiça como a Kiara Health – uma empresa de fabrico de produtos farmacêuticos e de soluções de cuidados de saúde – se preparou para o futuro com um novo sistema de ERP.

    placeholder

    Descubra software de ERP

    Seja qual for o tamanho da sua empresa, a SAP tem uma solução de ERP para as suas necessidades.

    Outros recursos nesta série

    Perguntas frequentes sobre ERP

    Um sistema de software de ERP é um conjunto de aplicações ou módulos integrados para a gestão dos processos empresariais centrais de uma empresa, como finanças e contabilidade, cadeia logística, RH, aprovisionamento, vendas, gestão de inventário e muito mais. Os módulos de ERP estão integrados num único sistema completo e partilham uma base de dados comum para simplificar processos e informações em toda a empresa. As empresas podem expandir o âmbito do seu ERP à medida que vão crescendo.

    ERP na Cloud é a implementação do ERP na Cloud em vez de um local físico. A Cloud proporciona um ambiente ideal para o ERP, porque é uma plataforma acessível, fiável, segura e altamente escalável para software crucial para a missão de uma empresa. O verdadeiro software de ERP na Cloud é desenvolvido especificamente para implementação na Cloud e aproveita ao máximo o ambiente da Cloud. Saiba mais sobre ERP na Cloud e opções de implementação do ERP.

    Em contabilidade, o acrónimo ERP quer dizer Enterprise Resource Planning (planeamento de recursos empresariais) – que é um tipo de software de gestão empresarial. Os módulos de finanças de ERP disponibilizam muitas das mesmas funções que um software de contabilidade, como ferramentas para contas a receber e a pagar, Razão, gestão de despesas, relatórios e análise e muito mais. Além de finanças, o ERP inclui módulos para diferentes linhas de negócio, como cadeia logística e RH, e integra tudo num único sistema.

    A maioria das empresas começam a utilizar várias ferramentas simples e autónomas para gerirem diferentes processos empresariais, como o QuickBooks ou folhas de cálculo de Excel. Eis os cinco sinais de que já não servem para a sua empresa e de que precisa de um sistema de ERP moderno.

    1. Está a gastar mais tempo nas atividades diárias. Se está a demorar mais tempo a gerir atividades como o fecho de contas, a culpa pode residir na utilização de demasiadas aplicações dispersas. O software de ERP integra soluções e dados num único sistema, com uma interface comum, facilitando a comunicação entre as unidades empresariais e a realização eficaz das suas tarefas.
    2. Existem demasiadas perguntas sem resposta. Consegue responder facilmente a perguntas importantes sobre a sua empresa, como a receita por linha de produto ou o número de devoluções? Se não consegue, pode estar a ser prejudicado pela existência de sistemas segregados e falta de acesso a métricas e indicadores-chave de desempenho (KPI). O software de planeamento de recursos empresariais é concebido para enfrentar esses desafios.
    3. Tem processos empresariais descontrolados. Existem áreas em que os seus processos escapam ao seu controlo? Talvez sinta mais dificuldade em gerir inventário, satisfazer clientes ou manter os custos controlados. Se assim for, os seus processos empresariais podem precisar de ser reestruturados para acomodar crescimento ou alteração de prioridades – tarefas naturais para o software de ERP.
    4. Existem processos manuais com vários conjuntos de dados. A maioria dos seus departamentos trabalham com as suas próprias aplicações e processos? Nesse caso, é provável que esteja a gastar demasiado na introdução de dados duplicados. Quando a informação não consegue fluir entre sistemas, os relatórios são mais demorados, os erros ocorrem com mais frequência e a tomada de decisões é prejudicada.
    5. Está a perder oportunidades de curta duração. Gasta tanto tempo a gerir a sua empresa que não consegue aproveitar oportunidades novas e entusiasmantes? Os mais recentes sistemas de ERP incluem capacidades avançadas e inteligentes, como machine learning e funções analíticas preditivas, que tornam mais fácil identificar e aproveitar novas iniciativas lucrativas.

    Newsletter do SAP Insights

    placeholder
    Subscreva agora

    Subscreva a nossa newsletter para obter informações chave.

    Outras leituras

    Voltar ao início