Ir para o conteúdo
Mulher usando o celular, horizonte da cidade, luz noturna no fundo

O que é ERP?

ERP quer dizer planejamento de recursos empresariais, mas o que o ERP significa? A maneira mais simples de definir ERP é pensar em todos os importantes processos empresariais necessários para administrar uma empresa: finanças, RH, produção, cadeia de suprimentos, serviços, procurement e outros. Em seu nível mais básico, o ERP ajuda a gerenciar eficientemente todos esses processos em um sistema integrado. Ele costuma ser chamado de sistema de registro da organização.


No entanto, os sistemas ERP atuais são tudo menos básicos e guardam pouca semelhança com o ERP de décadas atrás. Eles são agora disponibilizados na nuvem e usam as tecnologias mais recentes – como IA (Inteligência Artificial) e Machine Learning – para fornecer automação inteligente, maior eficiência e insights instantâneos em toda a empresa. O software ERP moderno também conecta operações internas a parceiros de negócios e redes em todo o mundo, proporcionando às empresas a colaboração, agilidade e velocidade necessárias para serem competitivas hoje.

ERP quer dizer planejamento de recursos empresariais, mas o que o ERP significa? A maneira mais simples de definir ERP é pensar em todos os importantes processos empresariais necessários para administrar uma empresa: finanças, RH, produção, cadeia de suprimentos, serviços, procurement e outros. Em seu nível mais básico, o ERP ajuda a gerenciar eficientemente todos esses processos em um sistema integrado. Ele costuma ser chamado de sistema de registro da organização.


No entanto, os sistemas ERP atuais são tudo menos básicos e guardam pouca semelhança com o ERP de décadas atrás. Eles são agora disponibilizados na nuvem e usam as tecnologias mais recentes – como IA (Inteligência Artificial) e Machine Learning – para fornecer automação inteligente, maior eficiência e insights instantâneos em toda a empresa. O software ERP moderno também conecta operações internas a parceiros de negócios e redes em todo o mundo, proporcionando às empresas a colaboração, agilidade e velocidade necessárias para serem competitivas hoje.

Definição de ERP

ERP é um sistema de software que ajuda você a administrar toda a empresa, incluindo processos de finanças, recursos humanos, produção, cadeia de suprimentos, serviços, procurement e muito mais.
ERP é um sistema de software que ajuda você a administrar toda a empresa, incluindo processos de finanças, recursos humanos, produção, cadeia de suprimentos, serviços, procurement e muito mais.

Por que o ERP é importante?

Às vezes descrito como "o sistema nervoso central de uma empresa", um sistema ERP oferece automação, integração e inteligência essenciais para a execução eficiente de todas as operações comerciais diárias. É necessário que a maioria dos dados de uma organização resida no sistema ERP para fornecer uma única fonte da verdade a toda a empresa.

 

O setor de finanças exige um ERP para rapidez no fechamento dos livros. O departamento de vendas precisa do ERP para gestão de todas as ordens do cliente. A área de logística depende de um software ERP bem executado para fornecer aos clientes os produtos e serviços certos dentro do prazo. O departamento de contas a pagar precisa do ERP para pagar os fornecedores corretamente e dentro do prazo. A gerência precisa de visibilidade instantânea do desempenho da empresa para tomar decisões acertadas. E os bancos e acionistas exigem registros financeiros precisos, por isso contam com dados e análises confiáveis viabilizados pelo sistema ERP.

 

A importância do software ERP para as empresas é ilustrada pela crescente taxa de adoção. De acordo com o G2, “o mercado global de software ERP deverá atingir US$ 78,40 bilhões até 2026, com uma taxa de crescimento anual composta (CAGR) de 10,2% de 2019 a 2026”.

Descubra por que um sistema ERP é tão importante.

Às vezes descrito como "o sistema nervoso central de uma empresa", um sistema ERP oferece automação, integração e inteligência essenciais para a execução eficiente de todas as operações comerciais diárias. É necessário que a maioria dos dados de uma organização resida no sistema ERP para fornecer uma única fonte da verdade a toda a empresa.

 

O setor de finanças exige um ERP para rapidez no fechamento dos livros. O departamento de vendas precisa do ERP para gestão de todas as ordens do cliente. A área de logística depende de um software ERP bem executado para fornecer aos clientes os produtos e serviços certos dentro do prazo. O departamento de contas a pagar precisa do ERP para pagar os fornecedores corretamente e dentro do prazo. A gerência precisa de visibilidade instantânea do desempenho da empresa para tomar decisões acertadas. E os bancos e acionistas exigem registros financeiros precisos, por isso contam com dados e análises confiáveis viabilizados pelo sistema ERP.

 

A importância do software ERP para as empresas é ilustrada pela crescente taxa de adoção. De acordo com o G2, “o mercado global de software ERP deverá atingir US$ 78,40 bilhões até 2026, com uma taxa de crescimento anual composta (CAGR) de 10,2% de 2019 a 2026”.

Descubra por que um sistema ERP é tão importante.

Como funciona um sistema ERP?

Um sistema ERP – também chamado de suíte ERP – é composto por módulos integrados ou aplicativos empresariais que se comunicam entre si e compartilham um banco de dados comum.

 

Normalmente, cada módulo ERP se concentra em uma área empresarial, mas eles trabalham juntos usando os mesmos dados para atender às necessidades da empresa. Finanças, contabilidade, recursos humanos, vendas, procurement, logística e cadeia de suprimentos são pontos de partida conhecidos. As empresas podem escolher o módulo desejado, para depois acrescentar outros e fazer o dimensionamento conforme a necessidade.

 

Os sistemas ERP também suportam requisitos específicos do setor, como parte da funcionalidade principal do sistema ou por meio de extensões de aplicativo que se integram perfeitamente ao pacote.

 

O software ERP pode ser adquirido por meio do modelo de assinatura em nuvem (software como serviço) ou do modelo de licenciamento (on premise).

Um sistema ERP – também chamado de suíte ERP – é composto por módulos integrados ou aplicativos empresariais que se comunicam entre si e compartilham um banco de dados comum.

 

Normalmente, cada módulo ERP se concentra em uma área empresarial, mas eles trabalham juntos usando os mesmos dados para atender às necessidades da empresa. Finanças, contabilidade, recursos humanos, vendas, procurement, logística e cadeia de suprimentos são pontos de partida conhecidos. As empresas podem escolher o módulo desejado, para depois acrescentar outros e fazer o dimensionamento conforme a necessidade.

 

Os sistemas ERP também suportam requisitos específicos do setor, como parte da funcionalidade principal do sistema ou por meio de extensões de aplicativo que se integram perfeitamente ao pacote.

 

O software ERP pode ser adquirido por meio do modelo de assinatura em nuvem (software como serviço) ou do modelo de licenciamento (on premise).

Módulos ERP comuns

Os sistemas ERP incluem uma gama de módulos diferentes. Cada módulo dá suporte a processos empresariais específicos, como finanças, procurement ou produção, e fornece aos colaboradores desse departamento as transações e os insights que eles necessitam para realizar seus trabalhos. Cada módulo se conecta ao sistema ERP, o que gera uma única fonte da verdade e disponibiliza dados precisos e compartilhados entre os departamentos.

Diagrama mostrando os elementos que constituem um ERP

 

Os módulos ERP mais utilizados incluem:

  1. Finanças: o módulo finanças e contabilidade é a espinha dorsal da maioria dos sistemas ERP. Além de gerenciar o Razão e automatizar as principais tarefas financeiras, ajuda as empresas a rastrear contas a pagar (AP) e a receber (AR), fechar os livros com eficiência, gerar relatórios financeiros, cumprir padrões de reconhecimento de receitas, mitigar riscos financeiros e muito mais.
  2. Gestão de recursos humanos: a maioria dos sistemas ERP inclui um módulo de RH que fornece recursos essenciais, como pontualidade, presença e folha de pagamento. Add-ons, ou mesmo pacotes completos de gestão de capital humano (HCM), podem se conectar ao ERP e fornecer funcionalidades de RH mais robustas – ou seja, tudo, desde funções analíticas da força de trabalho até gestão da experiência do colaborador.
  3. Sourcing e procurement: o módulo de sourcing e procurement ajuda as empresas a adquirir os materiais e os serviços necessários para fabricar seus produtos – ou os itens que desejam revender. O módulo centraliza e automatiza o processo de compras, incluindo solicitações de cotações, criação de contratos e aprovações. Ele pode minimizar a insuficiência e o excesso nas compras, melhorar as negociações com fornecedores, por meio de funções analíticas baseadas em IA, e até conectar-se perfeitamente às redes de compradores.
  4. Vendas: o módulo de vendas rastreia as comunicações com clientes potenciais e clientes – e ajuda os representantes a usar insights baseados em dados para aumentar as vendas e alcançar leads com as oportunidades certas de promoções e upsell. Ele contém funcionalidade para o processo do pedido ao pagamento, incluindo gestão de pedidos, contratos, faturamento, gestão do desempenho de vendas e suporte à força de vendas.
  5. Produção: o módulo de produção é um componente-chave de planejamento e execução do software ERP. Ele ajuda as empresas a simplificar processos de produção complexos e garante que a produção esteja de acordo com a demanda. Esse módulo geralmente inclui funcionalidade de planejamento de necessidades de material (MRP), programação da produção, execução da produção, gestão da qualidade e muito mais.
  6. Logística e gestão da cadeia de suprimentos: outro componente-chave dos sistemas ERP, o módulo da cadeia de suprimentos rastreia a movimentação de mercadorias e suprimentos em toda a cadeia de suprimentos da organização. O módulo fornece ferramentas para gestão de estoques em tempo real, operações de armazenamento, transporte e logística e pode aumentar a visibilidade e a resiliência da cadeia de suprimentos.
  7. Serviço: em um ERP, o módulo de serviço ajuda as empresas a fornecer o serviço confiável e personalizado que os clientes esperam. O módulo pode incluir ferramentas para consertos internos, peças de reposição, gestão de serviços externos e fluxos de receita baseados em serviços. Ele também fornece funções analíticas para ajudar representantes e técnicos de serviço a resolver rapidamente problemas de clientes e melhorar a fidelidade.
  8. P&D e engenharia: os sistemas ERP ricos em recursos incluem um módulo de P&D e engenharia. Esse módulo fornece ferramentas para design e desenvolvimento de produtos, gestão do ciclo de vida do produto (PLM), compliance do produto e muito mais – para que as empresas possam produzir inovações com rapidez e economia.
  9. Gestão de ativos empresariais: sistemas ERP robustos podem incluir um módulo EAM – que ajuda as empresas de bens de capital a minimizar o tempo de inatividade e manter máquinas e equipamentos funcionando com o máximo de eficiência. Esse módulo inclui funcionalidades para manutenção preditiva, programação, operações e planejamento de ativos, ambiente, integridade e segurança (EHS) e muito mais.

    Os sistemas ERP incluem uma gama de módulos diferentes. Cada módulo dá suporte a processos empresariais específicos, como finanças, procurement ou produção, e fornece aos colaboradores desse departamento as transações e os insights que eles necessitam para realizar seus trabalhos. Cada módulo se conecta ao sistema ERP, o que gera uma única fonte da verdade e disponibiliza dados precisos e compartilhados entre os departamentos.

    Diagrama mostrando os elementos que constituem um ERP

     

    Os módulos ERP mais utilizados incluem:

    1. Finanças: o módulo finanças e contabilidade é a espinha dorsal da maioria dos sistemas ERP. Além de gerenciar o Razão e automatizar as principais tarefas financeiras, ajuda as empresas a rastrear contas a pagar (AP) e a receber (AR), fechar os livros com eficiência, gerar relatórios financeiros, cumprir padrões de reconhecimento de receitas, mitigar riscos financeiros e muito mais.
    2. Gestão de recursos humanos: a maioria dos sistemas ERP inclui um módulo de RH que fornece recursos essenciais, como pontualidade, presença e folha de pagamento. Add-ons, ou mesmo pacotes completos de gestão de capital humano (HCM), podem se conectar ao ERP e fornecer funcionalidades de RH mais robustas – ou seja, tudo, desde funções analíticas da força de trabalho até gestão da experiência do colaborador.
    3. Sourcing e procurement: o módulo de sourcing e procurement ajuda as empresas a adquirir os materiais e os serviços necessários para fabricar seus produtos – ou os itens que desejam revender. O módulo centraliza e automatiza o processo de compras, incluindo solicitações de cotações, criação de contratos e aprovações. Ele pode minimizar a insuficiência e o excesso nas compras, melhorar as negociações com fornecedores, por meio de funções analíticas baseadas em IA, e até conectar-se perfeitamente às redes de compradores.
    4. Vendas: o módulo de vendas rastreia as comunicações com clientes potenciais e clientes – e ajuda os representantes a usar insights baseados em dados para aumentar as vendas e alcançar leads com as oportunidades certas de promoções e upsell. Ele contém funcionalidade para o processo do pedido ao pagamento, incluindo gestão de pedidos, contratos, faturamento, gestão do desempenho de vendas e suporte à força de vendas.
    5. Produção: o módulo de produção é um componente-chave de planejamento e execução do software ERP. Ele ajuda as empresas a simplificar processos de produção complexos e garante que a produção esteja de acordo com a demanda. Esse módulo geralmente inclui funcionalidade de planejamento de necessidades de material (MRP), programação da produção, execução da produção, gestão da qualidade e muito mais.
    6. Logística e gestão da cadeia de suprimentos: outro componente-chave dos sistemas ERP, o módulo da cadeia de suprimentos rastreia a movimentação de mercadorias e suprimentos em toda a cadeia de suprimentos da organização. O módulo fornece ferramentas para gestão de estoques em tempo real, operações de armazenamento, transporte e logística e pode aumentar a visibilidade e a resiliência da cadeia de suprimentos.
    7. Serviço: em um ERP, o módulo de serviço ajuda as empresas a fornecer o serviço confiável e personalizado que os clientes esperam. O módulo pode incluir ferramentas para consertos internos, peças de reposição, gestão de serviços externos e fluxos de receita baseados em serviços. Ele também fornece funções analíticas para ajudar representantes e técnicos de serviço a resolver rapidamente problemas de clientes e melhorar a fidelidade.
    8. P&D e engenharia: os sistemas ERP ricos em recursos incluem um módulo de P&D e engenharia. Esse módulo fornece ferramentas para design e desenvolvimento de produtos, gestão do ciclo de vida do produto (PLM), compliance do produto e muito mais – para que as empresas possam produzir inovações com rapidez e economia.
    9. Gestão de ativos empresariais: sistemas ERP robustos podem incluir um módulo EAM – que ajuda as empresas de bens de capital a minimizar o tempo de inatividade e manter máquinas e equipamentos funcionando com o máximo de eficiência. Esse módulo inclui funcionalidades para manutenção preditiva, programação, operações e planejamento de ativos, ambiente, integridade e segurança (EHS) e muito mais.

      Integração com ERP

      Os sistemas ERP atuais oferecem uma enorme gama de funcionalidades empresariais, mas ainda precisam fazer conexão e sincronização com outros aplicativos e outras fontes de dados – como software de CRM e HCM, plataformas de e-commerce, soluções setoriais específicas e até mesmo outros ERPs. Com a integração com o ERP, as empresas conseguem ter uma visão unificada das informações de diferentes sistemas, bem como aumentar a eficiência dos processos de negócios, melhorar as experiências dos clientes e facilitar a colaboração entre equipes e parceiros de negócios.

       

      Os sistemas ERP modernos são abertos e flexíveis – e podem ser facilmente integrados a uma ampla gama de produtos de software usando conectores ou adaptadores personalizados, como APIs (interfaces de programação de aplicativos). Outros métodos de integração com ERP incluem ESB (barramento de serviço corporativo) e iPaaS (integração de plataforma como serviço). O iPaaS, que oferece uma abordagem baseada em nuvem, é uma opção muito procurada por empresas modernas. As plataformas de iPaaS podem sincronizar rapidamente um ERP on premise ou na nuvem com aplicativos SaaS do mesmo fornecedor ou de terceiros. Normalmente, elas exigem pouca ou nenhuma codificação, são flexíveis e relativamente baratas e oferecem uma série de outros usos, como geração automática de API, integração de dados de machine learning, integração de rede da Internet das Coisas (IoT), conteúdo pré-incorporado e muito mais.

      Os sistemas ERP atuais oferecem uma enorme gama de funcionalidades empresariais, mas ainda precisam fazer conexão e sincronização com outros aplicativos e outras fontes de dados – como software de CRM e HCM, plataformas de e-commerce, soluções setoriais específicas e até mesmo outros ERPs. Com a integração com o ERP, as empresas conseguem ter uma visão unificada das informações de diferentes sistemas, bem como aumentar a eficiência dos processos de negócios, melhorar as experiências dos clientes e facilitar a colaboração entre equipes e parceiros de negócios.

       

      Os sistemas ERP modernos são abertos e flexíveis – e podem ser facilmente integrados a uma ampla gama de produtos de software usando conectores ou adaptadores personalizados, como APIs (interfaces de programação de aplicativos). Outros métodos de integração com ERP incluem ESB (barramento de serviço corporativo) e iPaaS (integração de plataforma como serviço). O iPaaS, que oferece uma abordagem baseada em nuvem, é uma opção muito procurada por empresas modernas. As plataformas de iPaaS podem sincronizar rapidamente um ERP on premise ou na nuvem com aplicativos SaaS do mesmo fornecedor ou de terceiros. Normalmente, elas exigem pouca ou nenhuma codificação, são flexíveis e relativamente baratas e oferecem uma série de outros usos, como geração automática de API, integração de dados de machine learning, integração de rede da Internet das Coisas (IoT), conteúdo pré-incorporado e muito mais.

      Seis principais benefícios do ERP

      Um bom sistema ERP oferece muitos benefícios diferentes. Eis aqui os seis principais:

      Diagrama dos benefícios do ERP
      1. Maior produtividade: otimize e automatize seus principais processos de negócios para ajudar todos na sua organização a fazerem mais com menos recursos.
      2. Insights de grande alcance: elimine silos de informações, crie uma fonte única da verdade e tenha respostas rápidas para questões essenciais dos negócios.
      3. Rapidez na emissão de relatórios: relatórios rápidos de finanças e de negócios e resultados compartilhados com facilidade. Trabalhe com base em insights e melhore o desempenho em tempo real.
      4. Riscos menores: maximize a visibilidade e o controle dos negócios, assegure compliance com as exigências regulatórias e preveja e previna riscos.
      5. TI mais simples: utilizando aplicativos integrados de ERP que compartilham um mesmo banco de dados, você simplifica as operações de TI e oferece a todos um modo mais fácil de trabalhar.
      6. Agilidade aumentada: com operações eficientes e acesso direto a dados em tempo real, você identifica novas oportunidades e responde rapidamente a elas.

      Um bom sistema ERP oferece muitos benefícios diferentes. Eis aqui os seis principais:

      Diagrama dos benefícios do ERP
      1. Maior produtividade: otimize e automatize seus principais processos de negócios para ajudar todos na sua organização a fazerem mais com menos recursos.
      2. Insights de grande alcance: elimine silos de informações, crie uma fonte única da verdade e tenha respostas rápidas para questões essenciais dos negócios.
      3. Rapidez na emissão de relatórios: relatórios rápidos de finanças e de negócios e resultados compartilhados com facilidade. Trabalhe com base em insights e melhore o desempenho em tempo real.
      4. Riscos menores: maximize a visibilidade e o controle dos negócios, assegure compliance com as exigências regulatórias e preveja e previna riscos.
      5. TI mais simples: utilizando aplicativos integrados de ERP que compartilham um mesmo banco de dados, você simplifica as operações de TI e oferece a todos um modo mais fácil de trabalhar.
      6. Agilidade aumentada: com operações eficientes e acesso direto a dados em tempo real, você identifica novas oportunidades e responde rapidamente a elas.

      Exemplos de ERP em diferentes setores

      As empresas de todos os setores – do automotivo ao atacadista – precisam de informações precisas e em tempo real, bem como de processos de negócios eficazes, para competir e prosperar. No entanto, diferentes setores dependem de seu software ERP por motivos bastante diferentes. Aqui estão apenas alguns exemplos:

      • As concessionárias de serviços públicos precisam revisar constantemente seus ativos de capital, não só para atender à demanda por serviços futuros, mas também para a substituição de ativos antigos. Sem o ERP, o esforço para priorizar esses importantes investimentos em ativos seria difícil e propenso a erros. O ERP também ajuda a resolver outro problema crítico de uma concessionária de serviços públicos: a previsão de peças de reposição. A impossibilidade de ter as peças certas durante uma interrupção pode criar um problema significativo de atendimento ao cliente. Por outro lado, o excesso de peças de reposição significa custos excessivos e estoque desatualizado.
      • Para atacadistas, importadores, fornecedores diretos da loja e empresas 3PL/4PL, o fornecimento pontual é fundamental. Todas essas organizações querem reduzir os custos de distribuição, aumentar a rotatividade do estoque e reduzir o tempo do pedido ao pagamento. Para atingir esses objetivos, elas precisam de integração das funcionalidades de gestão de estoques, compras e logística, bem como processos automatizados que são personalizados de acordo com suas necessidades.
      • Fabricantes de processos discretos, em lote e contínuos contam com sistemas ERP e de cadeia de suprimentos para atingir as metas de qualidade do produto, gerenciar a utilização de ativos, controlar custos de horas extras, processar devoluções de clientes e muito mais. Os fabricantes também podem ter controle do estoque de ponta a ponta, monitorando movimentações de estoque, identificando os produtos com melhor e pior desempenho e gerenciando o processo de procurement com mais eficiência.
      • Empresas de serviços – incluindo contabilidade, impostos, engenharia, TI, jurídico e outras empresas de serviços profissionais – necessitam de tecnologia ERP móvel em tempo real para equilibrar os compromissos de prestação de serviços com a saúde financeira. A chave para o sucesso dos serviços profissionais é a capacidade de manter a programação enquanto gerencia a rentabilidade do projeto, a utilização de recursos, o reconhecimento de receitas, os objetivos de receita recorrentes e as oportunidades de crescimento.
      • O varejo passou por uma transformação significativa agora que o e-commerce se fundiu com outros canais de vendas, bem como operações físicas. A capacidade de fornecer opções self-service para identificação, configuração, compra e envio de produtos depende da existência de dados integrados. Um sistema ERP moderno também ajuda os varejistas a reduzir o abandono de carrinhos, a melhorar conversões de sites da Web, aumentar o valor médio de pedidos e aumentar o valor de permanência do cliente.

      As empresas de todos os setores – do automotivo ao atacadista – precisam de informações precisas e em tempo real, bem como de processos de negócios eficazes, para competir e prosperar. No entanto, diferentes setores dependem de seu software ERP por motivos bastante diferentes. Aqui estão apenas alguns exemplos:

      • As concessionárias de serviços públicos precisam revisar constantemente seus ativos de capital, não só para atender à demanda por serviços futuros, mas também para a substituição de ativos antigos. Sem o ERP, o esforço para priorizar esses importantes investimentos em ativos seria difícil e propenso a erros. O ERP também ajuda a resolver outro problema crítico de uma concessionária de serviços públicos: a previsão de peças de reposição. A impossibilidade de ter as peças certas durante uma interrupção pode criar um problema significativo de atendimento ao cliente. Por outro lado, o excesso de peças de reposição significa custos excessivos e estoque desatualizado.
      • Para atacadistas, importadores, fornecedores diretos da loja e empresas 3PL/4PL, o fornecimento pontual é fundamental. Todas essas organizações querem reduzir os custos de distribuição, aumentar a rotatividade do estoque e reduzir o tempo do pedido ao pagamento. Para atingir esses objetivos, elas precisam de integração das funcionalidades de gestão de estoques, compras e logística, bem como processos automatizados que são personalizados de acordo com suas necessidades.
      • Fabricantes de processos discretos, em lote e contínuos contam com sistemas ERP e de cadeia de suprimentos para atingir as metas de qualidade do produto, gerenciar a utilização de ativos, controlar custos de horas extras, processar devoluções de clientes e muito mais. Os fabricantes também podem ter controle do estoque de ponta a ponta, monitorando movimentações de estoque, identificando os produtos com melhor e pior desempenho e gerenciando o processo de procurement com mais eficiência.
      • Empresas de serviços – incluindo contabilidade, impostos, engenharia, TI, jurídico e outras empresas de serviços profissionais – necessitam de tecnologia ERP móvel em tempo real para equilibrar os compromissos de prestação de serviços com a saúde financeira. A chave para o sucesso dos serviços profissionais é a capacidade de manter a programação enquanto gerencia a rentabilidade do projeto, a utilização de recursos, o reconhecimento de receitas, os objetivos de receita recorrentes e as oportunidades de crescimento.
      • O varejo passou por uma transformação significativa agora que o e-commerce se fundiu com outros canais de vendas, bem como operações físicas. A capacidade de fornecer opções self-service para identificação, configuração, compra e envio de produtos depende da existência de dados integrados. Um sistema ERP moderno também ajuda os varejistas a reduzir o abandono de carrinhos, a melhorar conversões de sites da Web, aumentar o valor médio de pedidos e aumentar o valor de permanência do cliente.

      Tipos de implementação de ERP

      Sistemas modernos de ERP podem ser implementados de diversas formas: em nuvem pública ou privada, on premise ou em diversos cenários híbridos que combinam diferentes ambientes. Aqui estão alguns dos benefícios mais vantajosos de cada um para ajudar você a identificar a opção de implementação de ERP mais significativa para sua empresa.

      Diagrama de opções de implementação de ERP

       

      ERP na nuvem

      Com o ERP na nuvem, o software fica hospedado na nuvem e é disponibilizado por meio da Internet como um serviço que você assina. Em geral, o fornecedor do software cuida de manutenção, atualizações e segurança regulares em seu nome. Atualmente, o ERP na nuvem é o método de implementação mais popular por muitos motivos – incluindo custos iniciais mais baixos, maior escalabilidade e agilidade, integração mais fácil e muito mais.

       

      ERP on premise

      Este é o modelo tradicional de implementação de software no qual você controla tudo. O software ERP é instalado no seu data center nos locais que você escolher. A instalação e a manutenção do hardware e do software são responsabilidade da sua equipe.

       

      Muitas empresas estão modernizando e atualizando seus sistemas ERP on premise e substituindo-os por implementações na nuvem. Isso requer um planejamento cuidadoso da atualização do ERP,  bem como um processo criterioso de avaliação do software ERP e das opções de implementação.

       

      ERP híbrido

      Para empresas que desejam um misto dos dois para atender às exigências de seus negócios, há o modelo de ERP híbrido . Este é o modelo em que alguns de seus aplicativos e dados ERP ficarão na nuvem e outros on premise. Algumas vezes ele é denominado ERP de duas camadas.

      O ERP para finanças pode ajudar você a gerenciar com segurança seus processos diários de fechamento contábil e financeiro, independentemente de seu método de implementação.

      Sistemas modernos de ERP podem ser implementados de diversas formas: em nuvem pública ou privada, on premise ou em diversos cenários híbridos que combinam diferentes ambientes. Aqui estão alguns dos benefícios mais vantajosos de cada um para ajudar você a identificar a opção de implementação de ERP mais significativa para sua empresa.

      Diagrama de opções de implementação de ERP

       

      ERP na nuvem

      Com o ERP na nuvem, o software fica hospedado na nuvem e é disponibilizado por meio da Internet como um serviço que você assina. Em geral, o fornecedor do software cuida de manutenção, atualizações e segurança regulares em seu nome. Atualmente, o ERP na nuvem é o método de implementação mais popular por muitos motivos – incluindo custos iniciais mais baixos, maior escalabilidade e agilidade, integração mais fácil e muito mais.

       

      ERP on premise

      Este é o modelo tradicional de implementação de software no qual você controla tudo. O software ERP é instalado no seu data center nos locais que você escolher. A instalação e a manutenção do hardware e do software são responsabilidade da sua equipe.

       

      Muitas empresas estão modernizando e atualizando seus sistemas ERP on premise e substituindo-os por implementações na nuvem. Isso requer um planejamento cuidadoso da atualização do ERP,  bem como um processo criterioso de avaliação do software ERP e das opções de implementação.

       

      ERP híbrido

      Para empresas que desejam um misto dos dois para atender às exigências de seus negócios, há o modelo de ERP híbrido . Este é o modelo em que alguns de seus aplicativos e dados ERP ficarão na nuvem e outros on premise. Algumas vezes ele é denominado ERP de duas camadas.

      O ERP para finanças pode ajudar você a gerenciar com segurança seus processos diários de fechamento contábil e financeiro, independentemente de seu método de implementação.

      Custo total do ERP

      O custo do ERP depende do fornecedor de software, dos módulos selecionados e do método de implementação. De modo geral, o ERP baseado em nuvem tem custos mais baixos do que o ERP on-premise, pois não há necessidade de aquisição de hardware – nem de contratação de especialistas de TI internos que custam caro. O fornecedor cuida da manutenção e cobra do cliente uma taxa de assinatura anual ou mensal, geralmente com base no número de usuários.

       

      Ao calcular o retorno sobre o investimento (ROI) e o custo total de propriedade (TCO) de uma nova implementação de ERP, os custos iniciais e contínuos da força de trabalho são tão importantes quanto os custos de seleção e implementação do software. Com opções de nuvem e híbridas, novos fatores devem ser avaliados. Por exemplo, os custos de manutenção de software, instalação, capacidade computacional, tempo de inatividade, recuperação, segurança, privacidade e equipe de TI são considerações importantes. Como mencionado, as opções na nuvem reduzem significativamente os custos operacionais e de capital – melhorando o ROI e o TCO.

      O custo do ERP depende do fornecedor de software, dos módulos selecionados e do método de implementação. De modo geral, o ERP baseado em nuvem tem custos mais baixos do que o ERP on-premise, pois não há necessidade de aquisição de hardware – nem de contratação de especialistas de TI internos que custam caro. O fornecedor cuida da manutenção e cobra do cliente uma taxa de assinatura anual ou mensal, geralmente com base no número de usuários.

       

      Ao calcular o retorno sobre o investimento (ROI) e o custo total de propriedade (TCO) de uma nova implementação de ERP, os custos iniciais e contínuos da força de trabalho são tão importantes quanto os custos de seleção e implementação do software. Com opções de nuvem e híbridas, novos fatores devem ser avaliados. Por exemplo, os custos de manutenção de software, instalação, capacidade computacional, tempo de inatividade, recuperação, segurança, privacidade e equipe de TI são considerações importantes. Como mencionado, as opções na nuvem reduzem significativamente os custos operacionais e de capital – melhorando o ROI e o TCO.

      História do ERP: A rápida evolução do ERP

      Os aplicativos empresariais informatizados surgiram no mundo da contabilidade e das finanças na década de 1960 e eram executados em computadores mainframe. Esses aplicativos pioneiros eram mais rápidos e precisos do que os processos manuais, mas também caros, limitados em termos de funcionalidade e ainda lentos. Em pouco tempo, eles deram origem ao desenvolvimento de soluções independentes dedicadas, como processamento de pedidos de venda e planejamento de necessidades de produção (MRP).

       

      Em meados da década de 1980, a concorrência no setor de manufatura estava explodindo e exigia novas ferramentas. O novo software MRP II integrava contabilidade e finanças, vendas, compras, estoque e também planejamento e programação da produção, oferecendo ao fabricante um sistema integrado.

       

      Perto do final da década de 1990, foi introduzido o ERP. Ele transformou o setor de tecnologia ao atender a uma ampla gama de setores e combinar diversas áreas, como MRP II, recursos humanos, contabilidade de projetos e geração de relatórios para o usuário final.

       

      No curto período do século XXI, as velocidades mais rápidas da Internet e as novas ferramentas de desenvolvimento revolucionaram novamente os pacotes ERP. A introdução do software baseado em navegador abriu caminho para o software ERP na nuvem, um avanço que aumentou o alcance e a funcionalidade das soluções ERP.

       

      Atualmente – na era da transformação digital – os modernos sistemas ERP empregam cada vez mais as novas tecnologias inteligentes, como IA, Machine Learning, RPA (automação de processos robóticos), IoT, NLP (processamento de linguagem natural) e bancos de dados in-memory. Eles colocam ao alcance das empresas a capacidade de executar processos ainda mais eficientes, aproveitar insights atualizados de dados transacionais e não estruturados e, em última análise, manter a competitividade em um momento de mudanças sem precedentes.

      Diagrama mostrando o histórico do ERP

      Os aplicativos empresariais informatizados surgiram no mundo da contabilidade e das finanças na década de 1960 e eram executados em computadores mainframe. Esses aplicativos pioneiros eram mais rápidos e precisos do que os processos manuais, mas também caros, limitados em termos de funcionalidade e ainda lentos. Em pouco tempo, eles deram origem ao desenvolvimento de soluções independentes dedicadas, como processamento de pedidos de venda e planejamento de necessidades de produção (MRP).

       

      Em meados da década de 1980, a concorrência no setor de manufatura estava explodindo e exigia novas ferramentas. O novo software MRP II integrava contabilidade e finanças, vendas, compras, estoque e também planejamento e programação da produção, oferecendo ao fabricante um sistema integrado.

       

      Perto do final da década de 1990, foi introduzido o ERP. Ele transformou o setor de tecnologia ao atender a uma ampla gama de setores e combinar diversas áreas, como MRP II, recursos humanos, contabilidade de projetos e geração de relatórios para o usuário final.

       

      No curto período do século XXI, as velocidades mais rápidas da Internet e as novas ferramentas de desenvolvimento revolucionaram novamente os pacotes ERP. A introdução do software baseado em navegador abriu caminho para o software ERP na nuvem, um avanço que aumentou o alcance e a funcionalidade das soluções ERP.

       

      Atualmente – na era da transformação digital – os modernos sistemas ERP empregam cada vez mais as novas tecnologias inteligentes, como IA, Machine Learning, RPA (automação de processos robóticos), IoT, NLP (processamento de linguagem natural) e bancos de dados in-memory. Eles colocam ao alcance das empresas a capacidade de executar processos ainda mais eficientes, aproveitar insights atualizados de dados transacionais e não estruturados e, em última análise, manter a competitividade em um momento de mudanças sem precedentes.

      Diagrama mostrando o histórico do ERP

      O futuro do ERP

      A transformação digital está acelerando – e o ERP está no centro. À medida que as empresas adotam tecnologias digitais em todas as áreas de negócios, elas mudam fundamentalmente seu modo de operação.

       

      De acordo com o Gartner, um dos principais aceleradores de negócios digitais é o "banimento de entraves" – em outras palavras, a eliminação de qualquer força negativa que entrave o progresso da empresa, incluindo processos e sistemas desatualizados. Portanto, não surpreende o fato de que as empresas já estejam exigindo sistemas ERP mais robustos.

       

      Eis aqui três grandes tendências que se baseiam no ímpeto que vemos hoje:

       

      1. Nuvem, nuvem, nuvem: a preferência por ERP na nuvem continuará aumentando à medida que um número cada vez maior de empresas descobrir seus benefícios – incluindo acesso "em qualquer lugar", custo reduzido de hardware e suporte técnico, maior segurança e integração com outros sistemas, só para citar alguns. De acordo com a Panorama Research em seu relatório de ERP de 2020, “Mais da metade das organizações está optando por software na nuvem (63%) em vez de software on premise (37%)”. À medida que a velocidade dos negócios aumenta, a nuvem se torna ainda mais essencial.
      2. Integração vertical: o cabo de guerra entre as melhores soluções da categoria e o ERP integrado terminou oficialmente. No futuro, acreditamos que as empresas exigirão o melhor dos dois mundos – um sistema ERP totalmente integrado com extensões verticais. Isso permite que elas obtenham a funcionalidade específica de que necessitam, sem os problemas de integração ou dados bloqueados em silos de informações. Também percebemos a mudança para uma flexibilidade cada vez maior, já que os processos empresariais são adaptados às necessidades individuais de cada empresa.
      3. Personalização do usuário: equipe, clientes e fornecedores querem conteúdo e funcionalidades que correspondam a suas necessidades ou a seus interesses específicos e os tornem mais produtivos. As mudanças demográficas da força de trabalho, particularmente em setores como produção, também estão alavancando o interesse por plataformas low-code e no-code. Essas plataformas permitem que os usuários tenham a experiência que desejam, em vez de precisarem se adaptar ao software. Os usuários também podem esperar pesquisa orientada por IA, além de dashboards, chats e fluxos de trabalho personalizados em todos os dispositivos.

       

      Explore mais as tendências tecnológicas do ERP e saiba como avaliar sistematicamente suas opções, evitar armadilhas e começar a usar as inovações certas para sua empresa.

      Veja como o ERP atual usa assistentes digitais para ajudar você a se concentrar no que importa: IA e Machine Learning para automatizar processos, e funções analíticas preditivas para dar suporte ao processo decisório em tempo real.

      A transformação digital está acelerando – e o ERP está no centro. À medida que as empresas adotam tecnologias digitais em todas as áreas de negócios, elas mudam fundamentalmente seu modo de operação.

       

      De acordo com o Gartner, um dos principais aceleradores de negócios digitais é o "banimento de entraves" – em outras palavras, a eliminação de qualquer força negativa que entrave o progresso da empresa, incluindo processos e sistemas desatualizados. Portanto, não surpreende o fato de que as empresas já estejam exigindo sistemas ERP mais robustos.

       

      Eis aqui três grandes tendências que se baseiam no ímpeto que vemos hoje:

       

      1. Nuvem, nuvem, nuvem: a preferência por ERP na nuvem continuará aumentando à medida que um número cada vez maior de empresas descobrir seus benefícios – incluindo acesso "em qualquer lugar", custo reduzido de hardware e suporte técnico, maior segurança e integração com outros sistemas, só para citar alguns. De acordo com a Panorama Research em seu relatório de ERP de 2020, “Mais da metade das organizações está optando por software na nuvem (63%) em vez de software on premise (37%)”. À medida que a velocidade dos negócios aumenta, a nuvem se torna ainda mais essencial.
      2. Integração vertical: o cabo de guerra entre as melhores soluções da categoria e o ERP integrado terminou oficialmente. No futuro, acreditamos que as empresas exigirão o melhor dos dois mundos – um sistema ERP totalmente integrado com extensões verticais. Isso permite que elas obtenham a funcionalidade específica de que necessitam, sem os problemas de integração ou dados bloqueados em silos de informações. Também percebemos a mudança para uma flexibilidade cada vez maior, já que os processos empresariais são adaptados às necessidades individuais de cada empresa.
      3. Personalização do usuário: equipe, clientes e fornecedores querem conteúdo e funcionalidades que correspondam a suas necessidades ou a seus interesses específicos e os tornem mais produtivos. As mudanças demográficas da força de trabalho, particularmente em setores como produção, também estão alavancando o interesse por plataformas low-code e no-code. Essas plataformas permitem que os usuários tenham a experiência que desejam, em vez de precisarem se adaptar ao software. Os usuários também podem esperar pesquisa orientada por IA, além de dashboards, chats e fluxos de trabalho personalizados em todos os dispositivos.

       

      Explore mais as tendências tecnológicas do ERP e saiba como avaliar sistematicamente suas opções, evitar armadilhas e começar a usar as inovações certas para sua empresa.

      Veja como o ERP atual usa assistentes digitais para ajudar você a se concentrar no que importa: IA e Machine Learning para automatizar processos, e funções analíticas preditivas para dar suporte ao processo decisório em tempo real.

      10 coisas a serem analisadas em um sistema ERP

      Qualquer sistema ERP moderno oferece uma ampla lista de recursos com base no setor que eles atendem e nos módulos que oferecem. No entanto, existem 10 recursos fundamentais que todos os sistemas de gestão de recursos empresariais devem ter:

       

      1. Um banco de dados comum: informações centralizadas e uma versão única da verdade – oferecendo dados consistentes e compartilhados e uma visão interfuncional da empresa.
      2. Funções analíticas incorporadas: funções analíticas integradas, BI self-service, relatórios e ferramentas de compliance capazes de fornecer insights inteligentes para qualquer área da empresa.
      3. Visualização de dados: apresentação visual de informações-chave com dashboards, KPIs e funções analíticas de apontar e clicar para ajudar na tomada de decisões rápidas e bem fundamentadas.
      4. Automação: automação de tarefas repetitivas e RPA avançado baseados em IA e Machine Learning.
      5. IU/UX consistentes: a mesma aparência em todos os módulos – bem como ferramentas de configuração e personalização fáceis de usar para processos, usuários (incluindo clientes e fornecedores), unidades de negócios, locais e linhas de produtos, por exemplo.
      6. Integração: integração perfeita de fluxos de trabalho e processos de negócios – bem como integração aberta e fácil com outras soluções de software e fontes de dados, inclusive de terceiros.
      7. Novas tecnologias: suporte a IA e Machine Learning, assistentes digitais, IoT, RPA, segurança e privacidade e mobilidade.
      8. Plataforma de tecnologia: uma pilha de tecnologia rápida, comprovada e estável para esse investimento de longo prazo – incluindo uma plataforma low-code/no-code, iPaaS, gerenciamento de dados e muito mais.
      9. Suporte multinacional: inclusive para idiomas, moedas e práticas e regulamentações de negócios locais – bem como suporte técnico para serviços em nuvem, treinamento, help desk e implementação.
      10. Escolha de implementação: na nuvem, on premise ou híbrida.

      Qualquer sistema ERP moderno oferece uma ampla lista de recursos com base no setor que eles atendem e nos módulos que oferecem. No entanto, existem 10 recursos fundamentais que todos os sistemas de gestão de recursos empresariais devem ter:

       

      1. Um banco de dados comum: informações centralizadas e uma versão única da verdade – oferecendo dados consistentes e compartilhados e uma visão interfuncional da empresa.
      2. Funções analíticas incorporadas: funções analíticas integradas, BI self-service, relatórios e ferramentas de compliance capazes de fornecer insights inteligentes para qualquer área da empresa.
      3. Visualização de dados: apresentação visual de informações-chave com dashboards, KPIs e funções analíticas de apontar e clicar para ajudar na tomada de decisões rápidas e bem fundamentadas.
      4. Automação: automação de tarefas repetitivas e RPA avançado baseados em IA e Machine Learning.
      5. IU/UX consistentes: a mesma aparência em todos os módulos – bem como ferramentas de configuração e personalização fáceis de usar para processos, usuários (incluindo clientes e fornecedores), unidades de negócios, locais e linhas de produtos, por exemplo.
      6. Integração: integração perfeita de fluxos de trabalho e processos de negócios – bem como integração aberta e fácil com outras soluções de software e fontes de dados, inclusive de terceiros.
      7. Novas tecnologias: suporte a IA e Machine Learning, assistentes digitais, IoT, RPA, segurança e privacidade e mobilidade.
      8. Plataforma de tecnologia: uma pilha de tecnologia rápida, comprovada e estável para esse investimento de longo prazo – incluindo uma plataforma low-code/no-code, iPaaS, gerenciamento de dados e muito mais.
      9. Suporte multinacional: inclusive para idiomas, moedas e práticas e regulamentações de negócios locais – bem como suporte técnico para serviços em nuvem, treinamento, help desk e implementação.
      10. Escolha de implementação: na nuvem, on premise ou híbrida.

      Experimente uma moderna solução ERP na nuvem

      Teste o SAP S/4HANA Cloud e conheça em primeira mão os benefícios de um sistema ERP inteligente

      ERP em qualquer tamanho: quais são minhas opções?

      O ERP não se destina apenas a empresas globais. As soluções ERP são projetadas para empresas de todos os portes – pequenas, médias ou grandes. Você também pode obter funcionalidades específicas para o setor ou para sua empresa visando atender a necessidades empresariais únicas. Independentemente do setor e do porte da sua empresa, você precisa elaborar cuidadosamente seu projeto de implementação de ERP,  adotando as melhores práticas.

       

      ERP para pequenas empresas

      O software ERP para pequenas empresas ajuda você a se livrar das planilhas e gerenciar mais eficientemente todos os aspectos de sua empresa em crescimento – desde vendas e relacionamento com clientes até o financeiro e as operações. As ferramentas ERP para pequenas empresas normalmente ficam na nuvem, têm instalação rápida e são projetadas para acompanhar o crescimento de seus negócios.

       

      ERP para empresas em crescimento

      Hoje, o software ERP desenvolvido para empresas em crescimento e subsidiárias aproveita as vantagens de funções analíticas integradas, implementação rápida e melhores práticas para dezenas de processos de negócios diferentes, entre eles finanças, RH, gestão da cadeia de suprimentos e outros. As ferramentas de ERP para empresas em crescimento ajudam essas empresas a crescer e competir, mesmo com recursos limitados.  Sistemas ERP empresariais modulares e baseados em nuvem também são uma opção popular para empresas em crescimento que tenham processos complexos ou planos para rápido crescimento.

       

      ERP empresarial

      Empresas de grande porte com operações globais ou subsidiárias precisam de um robusto sistema ERP líder de mercado com IA, Machine Learning e funções analíticas integradas, além de automação inteligente para transformação dos processos. Sistemas ERP podem ser implementados on premise, na nuvem ou em ambientes híbridos, dependendo das necessidades da empresa. Eles podem se integrar com bancos de dados existentes ou, idealmente, ser executados em  bancos de dados in-memory, mais novos e poderosos.

       

      Muitas empresas estão modernizando e atualizando seus sistemas ERP on premise e substituindo-os por implementações na nuvem. Isso requer um planejamento cuidadoso da atualização do ERP, bem como  avaliação do ERP e revisão de suas opções de implementação.

      Saiba como a Kiara Health – empresa de produtos farmacêuticos e serviços de saúde – preparou seus negócios para o futuro com um novo sistema ERP.

      O ERP não se destina apenas a empresas globais. As soluções ERP são projetadas para empresas de todos os portes – pequenas, médias ou grandes. Você também pode obter funcionalidades específicas para o setor ou para sua empresa visando atender a necessidades empresariais únicas. Independentemente do setor e do porte da sua empresa, você precisa elaborar cuidadosamente seu projeto de implementação de ERP,  adotando as melhores práticas.

       

      ERP para pequenas empresas

      O software ERP para pequenas empresas ajuda você a se livrar das planilhas e gerenciar mais eficientemente todos os aspectos de sua empresa em crescimento – desde vendas e relacionamento com clientes até o financeiro e as operações. As ferramentas ERP para pequenas empresas normalmente ficam na nuvem, têm instalação rápida e são projetadas para acompanhar o crescimento de seus negócios.

       

      ERP para empresas em crescimento

      Hoje, o software ERP desenvolvido para empresas em crescimento e subsidiárias aproveita as vantagens de funções analíticas integradas, implementação rápida e melhores práticas para dezenas de processos de negócios diferentes, entre eles finanças, RH, gestão da cadeia de suprimentos e outros. As ferramentas de ERP para empresas em crescimento ajudam essas empresas a crescer e competir, mesmo com recursos limitados.  Sistemas ERP empresariais modulares e baseados em nuvem também são uma opção popular para empresas em crescimento que tenham processos complexos ou planos para rápido crescimento.

       

      ERP empresarial

      Empresas de grande porte com operações globais ou subsidiárias precisam de um robusto sistema ERP líder de mercado com IA, Machine Learning e funções analíticas integradas, além de automação inteligente para transformação dos processos. Sistemas ERP podem ser implementados on premise, na nuvem ou em ambientes híbridos, dependendo das necessidades da empresa. Eles podem se integrar com bancos de dados existentes ou, idealmente, ser executados em  bancos de dados in-memory, mais novos e poderosos.

       

      Muitas empresas estão modernizando e atualizando seus sistemas ERP on premise e substituindo-os por implementações na nuvem. Isso requer um planejamento cuidadoso da atualização do ERP, bem como  avaliação do ERP e revisão de suas opções de implementação.

      Saiba como a Kiara Health – empresa de produtos farmacêuticos e serviços de saúde – preparou seus negócios para o futuro com um novo sistema ERP.

      Explore o software ERP

      Independentemente do porte de sua empresa, a SAP tem uma solução ERP para as suas necessidades.

      Outros destaques desta série

      Perguntas frequentes sobre ERP

      Um sistema de software ERP é um conjunto de aplicativos ou módulos integrados para gestão dos principais processos de negócios de uma empresa, incluindo finanças e contabilidade, cadeia de suprimentos, RH, procurement, vendas, gestão de estoques e muito mais. Os módulos ERP são integrados em um sistema completo e compartilham um banco de dados comum para simplificação de processos e informações em toda a empresa. As empresas podem expandir o escopo do ERP à medida que crescem.

      ERP na nuvem é a implementação do ERP na nuvem em vez de on premise. A nuvem oferece o ambiente ideal para o ERP, visto que é uma plataforma acessível, confiável, segura e altamente escalável para softwares essenciais. O verdadeiro software ERP na nuvem é desenvolvido especificamente para implementação em nuvem e aproveita ao máximo o ambiente de nuvem. Conheça melhor o ERP na nuvem e as opções de implementação do ERP.

      Na contabilidade, o acrônimo ERP significa planejamento de recursos empresariais – que é um tipo de software de gestão empresarial. Os módulos financeiros do ERP oferecem muitos recursos semelhantes aos de um software de contabilidade, como as ferramentas para contas a receber e contas a pagar, livro Razão, gestão de despesas, relatórios e análises e muito mais. Além do financeiro, o ERP inclui módulos para diferentes linhas de negócios, como cadeia de suprimentos e RH, e integra tudo em um só sistema.

      Muitas empresas começam usando várias ferramentas simples e independentes para gerenciar diferentes processos – como o QuickBooks ou as planilhas do Excel. Eis aqui cinco sinais de que essas ferramentas não acompanharam o crescimento de sua empresa e que você precisa de um moderno sistema ERP.

      1. Você está gastando mais tempo em atividades diárias. Se a gestão de atividades centrais, como fechamento contábil, está exigindo mais tempo, talvez o problema esteja no uso de vários aplicativos díspares. O software ERP integra soluções e dados em um único sistema com uma interface comum, facilitando a comunicação entre as unidades de negócios, que passam assim a trabalhar de modo eficaz.
      2. Há muitas questões empresariais ainda sem respostas. Você consegue responder facilmente a perguntas importantes sobre sua empresa, como a receita por linha de produto ou o número de devoluções? Em caso negativo, sistemas isolados e falta de acesso a métricas e KPIs podem estar impedindo o crescimento de sua organização. O software de planejamento de recursos empresariais foi desenvolvido para enfrentar esses desafios.
      3. Existem processos de negócios descontrolados. Há áreas em que os processos estão fora de controle? Talvez esteja mais difícil administrar os estoques, agradar os clientes ou manter os custos dentro do orçamento. Se esse for o caso, talvez você precise reestruturar os processos de negócios de sua empresa para acomodar o crescimento ou as constantes mudanças de prioridades – um cenário perfeito para um software ERP.
      4. Há processos manuais com vários conjuntos de dados. A maioria dos departamentos da empresa usa aplicativos e processos próprios para realizar as tarefas? Em caso afirmativo, talvez haja desperdício de tempo com a inserção de dados duplicados. Quando as informações não fluem entre os sistemas, a emissão de relatórios demora mais, ocorrem erros frequentes e atrasos nas decisões.
      5. Sua empresa tem perdido oportunidades voláteis. Você gasta tempo demais para administrar os negócios e não consegue aproveitar novas oportunidades atraentes? Os mais modernos sistemas ERP incluem recursos inteligentes e avançados, como Machine Learning e funções analíticas preditivas, que permitem identificar e aproveitar novas oportunidades de negócios com maior facilidade.

      Newsletter do SAP Insights

      Assine ainda hoje

      Receba insights importantes assinando nossa newsletter.

      Assine ainda hoje

      Receba insights importantes assinando nossa newsletter.

      Voltar ao início